Razões para uma nova versão

A pergunta mais comum que sempre é feita sobre uma nova versão da Bíblia é: “por que mais uma”? O Rev. Odayr Olivetti diz que é até razoável essa pergunta, pois não são poucas as traduções existentes no mercado nos dias de hoje.

Apresentamos a seguir parte de um artigo escrito pelo Rev. Odayr (Nova Versão Internacional da Bíblia em Português: resumo informativo), fazendo um verdadeiro mapa desta nova tradução NVI em português e debruçando-se sobre detalhes que vão levar aos leitores muito mais luz sobre a excelência do trabalho dessa versão.

Falando em termos gerais, as versões mais utilizadas em nossas igrejas são revisões da Versão de Almeida, com maior ou menor esforço para atualização; as versões mais características são lavradas em linguagem excessivamente popular ou excessivamente livre, ou são traduções de traduções.

Retornemos, então, à pergunta: “por que mais uma tradução da Bíblia”? Certamente, há mais de uma resposta para esta pergunta, e com elementos que poderiam tomar um amplo e longo espaço neste artigo. Restringimo-nos, assim, a estas resumidas considerações:

+CLAREZA NA COMUNICAÇÃO
Um dos propósitos das boas traduções é comunicar a verdade antiga em termos compreensíveis para as novas gerações.
+CONTEMPORANEIDADE DA LÍNGUA
A língua do povo é dinâmica, não estática. A literatura acompanha, embora lentamente, o dinamismo vívido, móvel e ágil da linguagem falada. Os clássicos da literatura são reeditados com atualização ortográfica e com notas explicativas, semânticas e outras — As versões da Bíblia não devem fugir a esse desiderato.
+VALOR DE NOVAS DESCOBERTAS
Há sempre novas descobertas históricas e arqueológicas, e com implicações filológicas. Essas descobertas influem na terminologia de vários assuntos e no conhecimento e interpretação de crenças, práticas e costumes. Tudo isso influi no trabalho do tradutor, com vistas à fidelidade aos textos originais.
+APERFEIÇOAMENTO
Nenhum trabalho é perfeito. Sempre há lugar para o aperfeiçoamento. Aqui vão três fatos que dão testemunho disso: 1) A existência de comissões permanentes de revisão, geralmente mantidas pelas sociedades bíblicas; 2) Durante os trabalhos da Comissão de Tradução da NVI em português, com frequência alguém dizia: “Cada vez que volto ao texto já trabalhado, encontro algo que poderia ser melhorado”; 3) A Comissão de Tradução da NIV (em inglês), após a conclusão de seus trabalhos para a primeira edição, em 1978, declarou que reconhecia a imperfeição de seu trabalho. Por certo, nenhum tradutor e nenhuma comissão de tradutores da Bíblia têm a pretensão de que seu trabalho seja perfeito e definitivo.
+PECULIARIDADES
Cada versão e cada revisão das versões em uso presenteiam o público com contribuições valiosas que grangeiam o reconhecimento e a gratidão de todos os interessados na divulgação da Palavra de Deus. Mas todas as versões, traduções e revisões sempre deixam algo a desejar, neste ou naquele aspecto. Recentemente, um colega perguntou “por que outra versão? A Versão de Almeida, Revista e Atualizada no Brasil, parece-me suficientemente boa”. Nossa resposta é que, de fato, a referida revisão de Almeida vem prestando excelente serviço, fazendo jus à nossa mais profunda gratidão, mas não deixa de apresentar falhas e de conter textos cuja redação pode ser melhorada.